"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

A timidez e o amor


05/05/2016 - 14:21:05 | 295

A timidez pode se tornar um grande obstáculo para as relações interpessoais

 

A hora da conquista, que deveria ser sinônimo de prazer e um momento agradável, acaba se tronando um campo de guerra para os tímidos. Tomar a iniciativa e começar uma conversa se torna uma missão impossível. A insegurança e medo de rejeição fazem com que o tímido perca grandes oportunidades na vida profissional, pessoal e amorosa.

O psicólogo Thiago de Almeida, especialista no tratamento das dificuldades do relacionamento amoroso, explica que a timidez não é uma doença e não inviabiliza um relacionamento amoroso. De acordo com o especialista, é possível driblar a timidez e tirar proveito disso, basta se soltar aos poucos e procurar pessoas que tenham interesses em comum, o que já facilita o primeiro contato.

“Procure como meta conversar com uma pessoa de cada vez. Isso exigirá certo esforço da tua parte, mas garanto: valerá à pena. Você será bem-sucedido ser houver confiança em si mesmo. Pouco importa se é uma simples afirmação ou pergunta como, por exemplo, "ah, hoje tá frio, né?", ou então, “como você está?”. Não se preocupe se você cometer alguma gafe ao falar, ria do fato, e prossiga com a conversa”.

O psicólogo explica que o essencial é saber tirar proveito da timidez, pois, apesar de por vezes ser limitadora, ela não é uma característica negativa da personalidade humana. “Caso você realmente se interesse pela pessoa com quem está interagindo, em geral não será difícil arranjar assunto, e encadear um assunto no outro. Aliás, pessoas tímidas são bons ouvintes. Logo, este quesito já é meio caminho andado para elas. Treine suas habilidades e adquira outras também”.

“Todos nós tememos ser rejeitados. Isto é típico da condição humana. Quando parecemos ser uma pessoa que não oferece risco de rejeição para os outros, minimizamos este temor e torna-se mais fácil sermos mais bem acolhidos. Quando você passa a impressão de oferecer menos risco do que deveria, os outros o percebem mais semelhantes a ele e, portanto, nem muito superior, nem muito diferente, logo acessível, e assim, mais fácil de abordar para uma eventual paquera”.

Segundo o especialista, a maior parte das pessoas prefere os que são capazes de tomar a iniciativa. “De um modo geral, assumir um enfoque mais ativo faz com que as pessoas se sintam mais confortáveis no seu lado e provavelmente levará a melhores relações do que uma abordagem passiva. Se você se mantiver sereno, com o tempo, a timidez dá lugar ao autocontrole”, explica.

Os tímidos, muitas vezes, acabam imitando o comportamento de alguém extrovertido para tentar driblar a timidez. Porém, o psicólogo explica que essa não é uma estratégia saudável. “Saiba que o melhor que tem a fazer é se assumir como você é, tímido mesmo. Não superestime este estado achando que você será a última pessoa da face da terra a encontrar um namorado. Saiba que as pessoas certas irão se aproximar de você. É uma questão de tempo. Tente não se desesperar. Mais vale você saber o que fala e com quem fala do que tentar um comportamento que não lhe garanta conforto nas relações”, aconselha.

De acordo com o médico, o fundamental é que o tímido compreenda que a sua timidez não é uma limitação, tampouco uma característica que o define. Apesar da sociedade valorizar o comportamento extrovertido, é importante encontrar outras características que podem ser mais marcantes. 

“Eu aconselho você a insistir. Conviver mais com o sexo oposto, participar de um voluntariado, ter a iniciativa no contato com os amigos, experimentar lugares e sensações que nunca fez, no seu ritmo, enfim, abrir-se ao novo”.

Thiago de Almeida, psicólogo especialista no tratamento das dificuldades do relacionamento amoroso e autor de vários livros sobre o assunto.

Fonte:

http://revistaicone.com/v1/timidez-ou-frustracoes-dificultam-os-relacionamentos/