"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

Bebidas e alimentos à base de aloe vera foram vetadas pela Anvisa


04/11/2012 - 23:00:00 | 723

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou há pouco a venda de alimentos e bebidas à base de aloe vera. Essa planta de origem africana é mais conhecida entre os brasileiros como babosa. Com ação antialérgica e desintoxicante, ela é utilizada na composição de produtos cosméticos, medicamentos fitoterápicos e até pouco tempo, também era encontrada em alimentos e bebidas – em sua maioria com função emagrecedora.

A aloe vera se encaixa em uma categoria de “novos alimentos” e por conta disto, deve ser submetida aos estudos e registro da Anvisa. Apenas assim ela pode ser comercializada para fins emagrecedores.

De acordo com a nota divulgada pela Agência, além da falta de pesquisas sobre a toxicidade da planta, os documentos encaminhados pelas empresas que produzem tais alimentos foram insuficientes para comprovar que o consumo dos produtos não apresentaria riscos à saúde. A aloe vera contém duas substâncias - antraceno e antraquinona – que podem gerar mutações nas células humanas. O comunicado traz ainda um alerta sobre os possíveis efeitos colaterais do consumo, que apesar de assintomáticos a curto prazo, podem resultar em um quadro clínico bastante severo.

A venda, fabricação ou importação de alimentos e bebidas à base de aloe vera estão suspensas por tempo indeterminado. A planta só pode ser utilizada nesses produtos com a função de aromatizante. Os fitoterápicos e produtos cosméticos à base da planta estão devidamente regulamentados pela Anvisa e podem ser utilizados sob a garantia de segurança.

Enquanto o uso desses “novos emagrecedores” não são liberados, os adeptos de dietas ou preocupados com a boa forma podem buscar outros caminhos para obter a tão desejada perda de peso. O primeiro passo é a reeducação alimentar, que ao contrário do que muitos acreditam, deve ser realizada de forma gradativa.

Por: AgComunicado