"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

Desnutrição em idosos é preocupante


29/04/2016 - 13:04:06 | 424

Saiba o que inserir na alimentação para combater o problema e a fragilidade do organismo

 

Na terceira idade surgem diversas dúvidas ao se tratar do estilo de vida e da alimentação. O corpo com o desgaste natural apresenta necessidades fisiológicas de acordo com cada organismo, portanto o acompanhamento preventivo torna-se necessário para saúde do idoso.

Estudo realizado pelo Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público e Estadual aponta que os idosos têm 3,7% maiores chances de desnutrição quando comparados com os adultos.

O geriatra Dr. Paulo Casali explica que além da dieta equilibrada é preciso obter o conhecimento de como os nutrientes estão sendo absolvidos pelo corpo e já existem exames laboratoriais específicos para essa análise, o que possibilita identificar a deficiência nutricional no organismo.

“A proporção e quantidade dos nutrientes oferecidos na dieta deve ser individual e baseado no metabolismo do indivíduo, na sua composição corporal, rotina, idade, doenças pré-existentes, entre outros fatores”, conclui.

 

Desnutrição na terceira idade

 

É crescente a população idosa no Brasil e paralelo a isso o aumento do número de doenças crônicas, como a diabetes e a hipertensão. De acordo com a Sociedade Europeia de Nutrição e Saúde 50% dos idosos estão hospitalizados entre os 60 anos e mais de 77% com mais de 80 anos possui nutrição deficiente.

Os motivos que acometem a desnutrição entre os idosos envolvem diversos fatores, como socioeconômicos, fazendo com que direcionem o salário mínimo recebido à compra de remédios, o desconhecimento dos alimentos nutritivos, dependência dos cuidadores ou mesmo a ausência dos mesmos, motivo pelo qual necessitam preparar o próprio alimento e não há conhecimento, disposição ou habilidade. A ausência de dentes também dificulta a mastigação e faz com que excluam alguns alimentos importantes do cardápio.

Para integrar as necessidades nutricionais do idoso é indicado o consumo de hortaliças, carnes, legumes, peixes e sopas para facilitar a digestão. Pesquisa concluída pela Universidade de Havard divulga que o consumo diário de alimentos integrais pode reduzir em até 9% os riscos de morte por doenças cardíacas.

 

A importância do consumo da Vitamina D

 

Estudo realizado por Pesquisadores do Centro Médico da Universidade Livre de Amsterdã diz que a deficiência de vitamina D pode acometer dificuldades físicas no dia a dia, como caminhar, vestir-se subir escadas, entre outros.

A vitamina D é geralmente absorvida pela luz solar ou por meio da dieta, possui tarefa essencial para a saúde dos ossos e músculos, logo a deficiência do nutriente no organismo acarreta em implicações, como a osteoporose, além de aumentar os riscos de fraturas.

“Uma dieta saudável para o idoso é aquela que fornece os nutrientes essenciais de maneira equilibrada, incluindo zinco, selênio, vitaminas antioxidantes como C e E, entre outras. Para saúde hormonal, sobretudo dos homens é indicado à suplementação, além do que já é fornecido por meio dos alimentos”, indica o médico.

 

A National Nutrient Database  for Standart Reference (USDA) (Banco Nacional de Nutrientes para Referência)  indica os principais alimentos para nutrição dos idosos:

 

Sardinha e atum

Esses alimentos são ricos em ômega-3, nutriente apontado em diversos estudos como benéfico para saúde cardiovascular e considerado protetor do cérebro contra a degeneração. O atum e a sardinha são fontes de vitamina D, substância essencial para saúde dos idosos.

 

Fígado de boi

Embora não seja um alimento tão apreciado e consumido deve ser inserido na dieta principalmente dos idosos, pois é fonte de vitamina D. A melhor forma de adicioná-lo na dieta é cozido ou grelhado para evitar frituras e o consumo de gorduras prejudiciais.

 

Ovos

Os ovos são fontes importantes da vitamina D e o mais indicado é o ovo caipira, pois a galinha que produz esse tipo de alimento geralmente não ingere hormônios, o que preserva o potencial dos nutrientes. Para evitar frituras opte pelo consumo cozido ou ovos mexidos.

 

Iogurte

O iogurte é fonte de vitamina D e também de cálcio, ambos imprescindíveis para saúde dos ossos. Opte pelo consumo do iogurte desnatado, possui menor teor de gordura e pode ser adicionado junto com frutas, vitaminas, mel e outros.

Dr. Casali alerta sobre os hábitos prejudiciais em qualquer idade, o que inclui a ingestão excessiva do açúcar refinado, da farinha branca, gorduras saturadas, embutidos (presento, mortadela, salame, salsicha), frituras, refrigerantes, excesso de álcool, cafeína, entre outros. “Alimentos industrializados em geral, ricos em aditivos químicos devem ser desestimulados desde a mais tenra idade”, acrescenta.

 

 

Dr. Paulo Casali, Clínico em Geriatria e Gerontologia
Membro da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia
Especialista em Saúde Ocupacional e Toxicologia