Televendas & SAC (11)4224-4550 ou (11)93802-7841

Aproximadamente 50% dos homens que participaram de um estudo com voluntários saudáveis do Brasil, México e Estados Unidos estavam infectados com o papilomavírus humano (HPV). O trabalho foi publicado na revista científica The Lancet e causou surpresa pois indicou uma prevalência bem acima da encontrada em estudos semelhantes com mulheres, nas quais a porcentagem de infecção pelo vírus não passa dos 20%.

O HPV pode causar câncer tanto em homens quanto em  mulheres. Porém, nas mulheres, a evolução para displasias (fase pré-tumoral) é mais frequente. O contágio acontece na maioria das vezes pela via sexual.

O estudo analisou mais de 1 mil homens entre 18 e 70 anos. Foi descoberta uma forte correlação entre a presença do HPV e o número de parceiros.

HPV e gestantes

Uma pesquisa feita em 2008 em seis capitais brasileiras mostrou que ao menos 40% das gestantes desses locais apresentavam algum tipo de doença sexualmente transmissível (DST). Do total, 40,4% tinham HPV e 9,4%, clamídia. O número de sífilis entre as gestantes foi de 2,6%, considerado alto pelo ministério. A Organização Mundial da Saúde define o índice de 1% como preocupante. A sífilis pode ser tratada durante a gravidez. Quando isso não ocorre, há risco de o bebê nascer com sífilis congênita.

Tipos de HPV e prevenção

Estudos mostram forte ligação entre a infecção genital pelo HPV e o câncer de colo uterino. O HPV está presente em mais de 99% das células destes tumores. Há mais de 200 tipos de HPV, que são classificados de acordo como risco para o desenvolvimento deste câncer. Cerca de 15 tipos de HPV são considerados de alto risco e estão relacionados com o câncer de colo uterino.

A infecção pelo HPV é muito comum. Cerca de 50% a 80% das mulheres sexualmente ativas serão infectadas por um ou mais tipos de HPV em algum momento de suas vidas. A maioria das infecções é transitória, sendo combatidas espontaneamente pelo sistema imunológico.

A transmissão do HPV genital ocorre através da relação sexual ou pelo contato direto com a pele contaminada. Por isso o uso de preservativo na relação sexual diminui o risco da transmissão, reduzindo assim a incidência do câncer de colo uterino. Atualmente há vacinas para jovens do sexo feminino, de 9 a 25 anos. São necessárias três doses para garantir a eficácia. Elas são oferecidas na rede privada de saúde. 

Fonte: Agência Comunicado

Estresse não influi em tratamento para engravidar
Estilo de vida e estresse podem influir negativamente quando a tentativa é natural...
Consumir mais que uma lata de refrigerante com açúcar por dia aumenta a pressão arterial
Motivo exato para que isso aconteça ainda não está claro...
Online Farma
Lorem ipsum dolor sit amet, justo aliquid reformidans ea vel, vim porro dictas et, ut elit partem invidunt vis. Saepe melius complectitur eum ea. Zril delenit vis ut. His suavitate rationibus in, tale discere ceteros eu nec. Vel ut utamur laoreet vituperata, in discere contentiones definitionem ius.
read more ⟶
Leave a comment
Note: HTML is not translated!