"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

Leite pasteurizado pode incluir: hormônios, pesticidas e até antibióticos, alerta nutróloga


03/09/2016 - 16:17:49 | 218

Aprenda a fazer o leite de amêndoa caseiro; rico em proteínas e magnésio 

 

A ingestão do leite é um tema bastante controverso. Enquanto estudos passados afirmam benefícios para saúde óssea e prevenção da osteoporose, pesquisas mais recentes garantem que a bebida não é sinônimo de saúde e pode ser prejudicial ao organismo. Segundo a matéria publicada no USA Today o número de pessoas prejudicadas pelo consumo do leite pode chegar até 75%. Os sintomas comuns de quem apresenta algum tipo de intolerância , são: alergias respiratórias, sinusite, diarreia, entre outros. 

O processo que o leite percorre até ser disponibilizado nos mercados também está associado aos malefícios, como a pasteurização e a homogeização, responsáveis por trazer a aparência branquinha ao alimento. A nutróloga, Amarantha Ribas, contesta que a alimentação e o modo como as vacas são mantidas para produzir o leite pode gerar consequências para saúde do animal, como também para a pessoa que irá consumir a bebida. 

“O leite de vaca era oferecido há muitos anos atrás para as crianças assim nasciam, cujas mães não conseguiam outras fontes de alimentação, como as amas de leite. Nesse caso era a única alternativa para alimentar o bebê”, explica. 

A nutróloga ressalta que para produzir o leite a vaca é mantida em confinamento e consumindo excessivamente hormônios para aumentar a produção e antibióticos, que irão atuar nas inflamações que ocorrem por conta desse esforço. Sem contar nos pesticidas que são comumente aplicados na prevenção das pregas. Todas essas substâncias podem passar pelo leite que chega até os mercados e alimentam milhares de pessoas, incluindo adultos e crianças. “A ordenha mecânica causa inflamação nos seios da vaca, por isso eles medicam com antibióticos para conter o sangue, pus e aliviar a infecção.  Além de consumir alimentos que não são apropriados para a sua biologia, como ração, aveia e até arroz com feijão”, adverte. 

Quanto ao consumo do leite a médica ressalta que os derivados, como queijo, iogurtes e sorvetes levam doses altas da bebida. “Para produzir o queijo mussarela, por exemplo, é necessário 5 litros de leite. A manteiga leva mais ou menos 40 litros”, considera. Ou seja, o leite está inserido em nossa dieta de várias formas e praticamente enraizado na cultura. Leia também: O leite é vilão ou mocinho?

Quais são os alimentos que podem substituir o leite?

Estudo realizado pelo médico cientista de Harvard, Walter Willet, conclui que incluir no cardápio as folhas verde -escuras, gergelim, tahine, algas marinhas, sardinha e outros peixes são excelentes substituições para o leite e seus derivados. 

Aprenda a fazer o próprio leite usando a amêndoa

Uma alternativa bastante saudável é o leite de amêndoa. A semente é rica em magnésio, fonte de proteínas e gorduras altamente saudáveis ao organismo. Em valor nutricional o leite de amêndoa supera o tradicional leite industrializado. Os benefícios podem ser perceptíveis na diminuição dos sintomas de TPM, pois estudos já associaram a causa do desconforto com a falta de magnésio no organismo. Confira a receita:

-1 xícara de amêndoa

-3 xícaras de água

Bata todos os ingredientes no liquidificador com potência máxima até formar um líquido homogêneo. Se quiser deixar o leite mais fino você pode remover a poupa com uma peneira fina. 

 

Participação da nutróloga, Amarantha Ribas

Congresso Alimentação Viva

 

Referências:

http://www.personare.com.br/receita-de-leite-de-amendoas-m5659

http://www.personare.com.br/diminuir-consumo-de-leite-pode-melhorar-saude-m3648