"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

O poder do alho


04/11/2012 - 23:00:00 | 2175

Garlic (inglês), ajo (espanhol), ail (francês), aglio (italiano) ou lasan (hindú). Não importa o pais ou idioma, suas propriedades benéficas são universais e exploradas há, pelo menos, cinco mil anos. Rico em aminoácidos, minerais, óleos essenciais, proteínas, vitaminas (A, B6, C, ácido fólico) entre outros componentes, o alho é indispensável para a gastronomia – fresco, desidratado ou em pó – para temperar carnes e peixes, saladas e molhos, sopas e suflês.

Enquanto alguns afirmam que nasceu na Itália, para outros, teria surgido na Ásia. Foi no século 19 que  Louis Pasteur (1822-1895), grande cientista francês, demonstrou as propriedades antissépticas do alho.

Hoje, muito mais tem sido demonstrado – o alho é um potente antibiótico, bactericida, vermífugo, antiasmático, antigripal, anti-inflamatório, entre uma infinidade de outros “anti”. É estimulante da mucosa estomacal, além de diurético, emoliente, vasodilatador, importante no controle do colesterol e da pressão alta. É indicado para o tratamento de doenças da pele e infecções urinárias, e atua como coadjuvante no controle do diabetes, artrite, distúrbios intestinais, doenças cardíacas, dores de cabeça e de dente. Estimula o sistema imunológico. Pesquisadores têm encontrado no alho importantes propriedades para combater, inclusive, o câncer que se desenvolve no estômago e no fígado.

Os nutricionistas aconselham o consumo de, pelo menos, um dente de alho por dia.  Ao escolher o produto, preste atenção ao formato das cabeças de alho, que devem ser redondas, firmes e sem manchas. Os dentes devem estar bem juntos, também firmes. Desde que bem armazenado em lugar fresco, seco e arejado, pode durar até dois meses.

Não deve ser consumido em excesso por mães que estejam amamentando, assim como por pessoas com problema de pressão baixa, úlcera, dermatite, hipertireoidismo ou que façam tratamento com anticoagulantes e medicamentos para controlar o nível de açúcar no sangue. Abusar do alho pode causar problemas digestivos, dores de cabeça e nos rins, cólicas, vômitos, diarreia, tontura, sangramentos ou problemas de coagulação.

O odor forte do alho é consequência da presença de uma substância chamada alicina – ela é a responsável por deixar um hálito forte, que permanece mesmo após horas de tê-lo consumido. Para eliminar o cheiro inoportuno, principalmente para os namorados, experimente beber o suco de um limão, ou mastigar folhas de salsa ou erva doce durante algum tempo.

Por: AgComunicado