"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

O que atrapalha sua dieta?


04/11/2012 - 23:00:00 | 641

Autoconhecimento, disciplina e força de vontade são os principais fatores para que um plano de emagrecimento dê certo. Não basta investir na melhor dieta da moda ou eliminar de uma só vez as guloseimas do cardápio. Medidas extremas podem até surtir efeito, mas por pouco tempo.

Estabelecer metas impossíveis (emagrecer 10 kg em um mês, por exemplo) e adotar dietas muito extremistas, não só atrapalha o emagrecimento, como também prejudica a saúde!

Essas medidas geralmente causam situações de estresse, que por sua vez, tendem a alterar o metabolismo e diminuir a queima de gordura. Como? O hormônio cortisol é produzido em situações de estresse. É liberado quando sentimos ansiedade ou irritabilidade e também quando ingerimos gorduras saturadas, trans e adoçantes em excesso ou quando ficamos por longos períodos em jejum. Esse hormônio contribui para o acúmulo de gordura e a retenção de líquidos, em especial na região abdominal - isso explica o porquê de algumas pessoas não perderem a gordura abdominal, mesmo após a dieta.

Portanto, evitar passar longos períodos sem se alimentar ou dormir bem, e ter um sono equilibrado, mantém os níveis de cortisol estabilizados.

Seguir a regra de se alimentar a cada três ou quatro horas, de preferência em horários regulares, faz com que o ritmo do metabolismo se mantenha contínuo. O metabolismo ativo proporciona a queima de gorduras saudável e evita os problemas de retenção hídrica – um dos vilões do emagrecimento. A falta de disciplina alimentar está entre os maiores empecilhos para a perda de peso.

Só consumir alimentos light ou diet, a fim de reduzir a quantidade de calorias, também não ajuda. Para ser diet, a composição do alimento deve substituir por completo um dos ingredientes tradicionais de sua composição, como o açúcar e o glúten, por exemplo. Porém, não é sempre que um alimento diet é sinônimo de menos calorias. E os alimentos light devem apresentar uma redução mínima de 25% em nutrientes ou calorias. O grande risco de só consumir esses alimentos está na deficiência nutricional que podem causar, uma vez que não contém todos os nutrientes necessários ao organismo.

Para não cometer erros, o ideal é procurar um nutricionista e criar um plano alimentar baseado na rotina e gostos individuais. Assim, ao invés de seguir uma dieta, a pessoa faz uma reeducação alimentar, mais saudável e com mais chances de sucesso. Listar os deslizes e dificuldades ao se reeducar com relação à alimentação é de grande ajuda para obter êxito. Que tal fazer a sua lista?

Por: AgComunicado