"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

A pílula do câncer foi aprovada pela Presidência, mas barrada por pesquisadores e pela Anvisa


12/05/2016 - 11:45:46 | 433

 

DENTRE OS TIPOS DE CÂNCER EXISTENTES, O CÂNCER DE PELE É O MAIS RECORRENTE NO BRASIL

 

A reportagem Pílula do câncer: entenda polêmica em torno da fosfoetanolamina, esclarece que após a liberação do composto da fosfoetalonamina sintética ter sido aprovada como “pílula do câncer”, a decisão foi revogada em março deste ano pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski. O pedido da proibição foi realizado pela Universidade de São Paulo sob o argumento de que as substâncias foram liberadas sem as devidas constatações científicas.

A pílula do câncer não foi testada em seres humanos. O princípio ativo do medicamento, a fosfoetanolamina, seria capaz de curar pacientes com diversos tipos da doença, mas não há comprovação científica. A cápsula estava sendo vendida por R$6 e estava sendo produzida pelo único laboratório autorizado pela Justiça, empresa PDT Pharma.

O medicamento não foi testado em humanos e a substância principal não possui eficácia comprovada, assim como os efeitos colaterais são desconhecidos e não há registro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O dermatologista Rodrigo Frota, esclarece que a pílula não pode ser considerada um medicamento e que quando uma substância química se mostra potencialmente ativa nos estudos no laboratório, é primordial que testes sejam realizados em seres humanos:

 

“No caso da referida substância, nenhum estudo em seres humanos foi conduzido, não sendo, portanto, estudados os efeitos da substância no tumor, os efeitos colaterais, a posologia, a interação medicamentosa, entre outros parâmetros importantes”.

 

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer mais frequente no Brasil é o câncer de pele, representando 25% de todos os tumores malignos registrados no país. De acordo com o órgão, a estimativa de novos casos é de 175.760, deste número, 80.850 se referem aos homens e 94.910 casos se referem às mulheres.

A matéria Pílula do Câncer (Fosfoetanolamina Sintética) – Entenda a polêmica, conta que mesmo com a substância em fase de testes, foi aprovada pela Câmara dos Deputados e o Senado aprovou o projeto que libera a produção, venda e comercialização da pílula. A presidente Dilma Rousseff sancionou a lei número 13.269, em 13 de abril de 2016, que autoriza o uso da substância fosfoetanolamina sintética por pacientes com diagnóstico de neoplasia maligna, com laudo médico que comprove o diagnóstico.

A mesma matéria esclarece que mesmo que exista a sanção presidencial ao projeto, os médicos não podem prescrever a droga pelo fato de não ser reconhecida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a quem cabe o controle e fornecimento das licenças legais para a produção e distribuição de medicamentos no Brasil.

 

NUNCA SE DEVE DEIXAR DE FALAR SOBRE O CÂNCER DE PELE

 

O especialista esclarece que o câncer de pele é um tumor maligno que em estágios iniciais deve ser tratado com cirurgia, em casos de tumores mais agressivos, como é o caso do melanoma, pode ser necessária uma abordagem médica interdisciplinar, que inclui tratamentos como radioterapia, quimioterapia, tratamento sistêmico com drogas-alvo: 

 

"A cura do câncer é o objetivo de diversos estudos clínicos conduzidos no mundo. Os inúmeros tipos de câncer, cada um com suas peculiaridades, tornam improvável que uma única substância cure todos os tipos da doença. O mais provável é que cada mutação, cada característica do tumor, seja alvo de um tipo de medicação em específico”.

 

Diante dessas tantas complexidades, acredita que a pílula deve ser comercializada ou realmente por não ter sido testada antes, deve ter a comercialização proibida?

 

Rodrigo Frazão Frota - Dermatologista

O médico atua na equipe do médico Gilvan Alves, referência em Dermatologia 

Site: drgilvan.com.br

 

Fontes

Pílula do câncer: entenda polêmica em torno da fosfoetanolamina. Portal EBC: www.ebc.com.br/noticias/saude/2016/03/pilula-do-cancer-polemica-fosfoetanolamina

Pele não melanoma. Inca: www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pele_nao_melanoma

Pílula do Câncer (Fosfoetanolamina Sintética) – Entenda a polêmica em torno da fosfoetanolamina: noticias.r7.com/educacao/blog-qg-do-enem/pilula-do-cancer-fosfoetanolamina-sintetica-entenda-a-polemica-em-torno-da-fosfoetanolamina-10052016

Objetiva: Comunicação e Assessoria