"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

Plantas medicinais: poder, tratamento e cura


19/01/2016 - 23:00:00 | 701

Terapeuta complementar ensina um chá com inúmeras funcionalidades em prol da saúde

Os primeiros medicamentos e tratamentos surgiram há milhões de anos por meio da utilização das plantas medicinais. Faz parte da história da humanidade a observação das plantas também como recurso no tratamento de inúmeras doenças. 
 
No Brasil, se utilizarmos o exemplo da colonização, os europeus já eram instigados pelo conhecimento que os índios tinham acerca das plantas. 
 
A comprovação do quanto as plantas medicinais representam um recurso importante em prol da saúde é a existência de inúmeras lojas especializadas em produtos naturais fabricados a partir de matéria-prima encontrada na natureza, assim como hoje existem inúmeras especialidades que têm como foco terapias alternativas que se utilizam da botânica.
 
Para a terapeuta complementar Tahiana Ferraço, ainda que sejam recursos naturais, a utilização de plantas ou ervas medicinais deve ser feita com cautela e é importante que a pessoa adquira conhecimento sobre a erva que irá utilizar, assim como vale conhecer o nome científico da planta e as diferenças minuciosas, já que algumas plantas são muito parecidas e algumas podem ser tóxicas. 
 
“O ideal é adquirir ervas de um fornecedor confiável, nesses casos os valores são mais altos, mas existem os vendedores “a granel” com valores mais acessíveis e é aqui que se aplica a importância de conhecer bem a erva que se busca”, explica.
 
Para a terapeuta complementar, antes de utilizar determinada planta, é fundamental conhecer as propriedades medicinais, as contraindicações e a melhor maneira de consumir (infusão, decocção, unguentos etc.), além de prestar atenção na dosagem recomendada.
 
Aliás, vale esclarecer as diferentes formas de manipular as ervas medicinais
 
Infusão - É caracterizada pela água fervente sobre as partes da planta que serão utilizadas e em seguida o recipiente deve ser abafado. Enquanto a infusão esfria, a água extrai da planta os principais princípios ativos.
 
Decocção - Já esta utilização consiste no ato de ferver a parte da planta junto à água por pelo menos 5 minutos.
 
Maceração - É quando a planta fica em contato com algum líquido (óleo ou álcool) por alguns dias até que o máximo de suas propriedades seja extraído.
 
Nas últimas décadas se tornou muito comum a procura da maioria das pessoas por chás que têm como finalidade emagrecer. Algumas plantas possuem propriedades diuréticas e atuam diretamente auxiliando na eliminação de gorduras no organismo. 
 
A terapeuta listou algumas plantas e suas funcionalidades. Veja na tabela abaixo:
 

PLANTAS

FUNCIONALIDADE

Chá verde (Camellia sinensis); Hibisco (Hibiscus sabdariffa); Casca de laranja amarga (Citrus aurantium var. amara); Carqueja (Baccharis trimera)

Temogênicas, elevam a temperatura coporal e aceleram o metabolismo, atuando na queima de calorias

Alecrim (Rosmarinus officinalis), Bardana (Arctium lappa), Centella (Centelha Asiática); Erva-Doce (Foeniculum vulgare); Dente-de-leão (Taraxicum officinalis); Hortelã (Mentha piperita)

Auxiliam no processo de eliminação das toxinas por meio da urina, fezes e suor

Ervas e especiarias:

 Gengibre (Zingiber officinali); Pimenta caiena/dedo de moça (Cayenne pepper); Cardamomo (Elettaria cardamomum L.)

Termogênicas e diuréticas, atuam principalmente na eliminação de líquidos que causam inchaço

 
 
Tahiana acredita que é importante que um terapeuta, nutricionista ou até mesmo um médico sejam consultados para que boas indicações sejam repassadas de acordo com a necessidade específica de cada pessoa.
 
A terapeuta complementar indica um chá que pode ser utilizado em casos de dores musculares, dores menstruais, dores reumáticas, dores de cabeça ou até mesmo em casos de enxaqueca. O chá age proporcionando relaxamento e aquecimento muscular, o que diminui as dores e também pode ser útil se o intuito é a perda de peso, já que acelera o metabolismo. Também atua na eliminação de toxinas e ajuda a aliviar o estresse e ansiedade, o que favorece noites de sono mais tranquilas. 
 
Ingredientes
Canela (em lascas e em pó)
Semente de mostarda
Semente de erva-doce
 
Para preparar a mistura seca
Coloque em um pote de vidro grande e devidamente higienizado, 1 xícara de chá de semente de mostarda; 1 xícara de chá de erva-doce,  ½ xícara de chá de canela em lascas e ½ xícara de chá de canela em pó, misture bem esse ingredientes secos. 
 
Como fazer o chá?
Essa mistura rende pouco mais de 30 xícaras de chá e esse é um tratamento indicado por Tahiana que deve durar 30 dias, o chá deve ser tomado durante a noite. Deve-se colocar uma colher de chá da mistura seca em 250 ml de água quente (sem ferver). Abafe e deixe descansar por até 15 minutos, depois é só coar e tomar.
 
Tahiana acredita que terapias complementares, como o próprio nome sugere, não substituem o tratamento alopático (medicina tradicional) quando este é necessário, mas o conjunto das duas práticas poderia proporcionar resultados excelentes: “Vários estudos já mostraram que pacientes que fazem uso concomitante de uma terapia alternativa com a alopatia apresentam melhoras significativas em menos tempo, além de melhor estabilidade emocional e clareza mental para lidar com a situação de forma positiva”
 
Fontes utilizadas:
 
Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG: http://www.mhnjb.ufmg.br
 
Plantas medicinais: cura segura? - http://www.scielo.br/pdf/qn/v28n3/24145.pdf
 
 
 
Tahiana Ferraço
Terapeuta Complementar
E-mail: tahiaromaterapeuta@gmail.com
Blog: quintaldebruxa.blogspot.com.br