"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

O poder terapêutico da Aromaterapia


25/01/2016 - 23:00:00 | 514

Entenda sobre essa terapia complementar e quais os benefícios à saúde

 
 
 
 
 
 
“Algumas terapias complementares ainda necessitam ser melhor esclarecidas e divulgadas aqui no Brasil para que elas não sejam vistas apenas como algo ligado ao místico e sim, como um tratamento medicinal comprovado cientificamente” Tahiana Ferraço 
 
 
 
 
 
 
 
A aromaterapia é um recurso natural capaz de proporcionar excelentes resultados no tratamento e cura de diversos males de saúde. 
 
De acordo com o estudo Aromaterapia e suas aplicações, publicado pela Universidade São Camilo, essa terapia foi introduzida pelo químico francês René Maurice de Gatefossé em 1964, mas o mesmo já falava sobre este recurso natural em 1928. A aromaterapia explicada de maneira reduzida é a ciência que se utiliza de óleos extraídos de plantas no tratamento de diversos desequilíbrios no organismo, por meio de aromas. Se engloba no termo medicina natural, se trata de um método alternativo, com poder de prevenir e de curar problemas de saúde.
 
Apenas o óleo é extraído da planta ou de parte da planta e é somente o óleo aromático a matéria-prima empregada no tratamento alternativo. A substância aromática pode ser encontrada em pequenas glândulas que podem estar localizadas nas partes externas ou até mesmo nas partes centrais de raízes, caule, flores, folhas ou até mesmo no fruto de uma planta.
 
Dentre os métodos que fazem parte da aromaterapia estão: banho aromático, inalação e a aplicação direta.
 
Para a terapeuta complementar Tahiana Ferraço, a aromaterepia clínica tem como objetivo tratar e auxiliar no processo de cura do indivíduo como um todo, por meio da manipulação de óleos essenciais e de óleos vegetais puros: “Através dos óleos essenciais, que são substâncias concentradas, extraídas diretamente das plantas aromáticas, a aromaterapia tem a capacidade de tratar desde um arranhão até casos de depressão profunda”.
 
Segundo o estudo O uso da aromaterapia no combate ao estresse, publicado pela revista Arquivos de Ciências da Saúde da Unipar - Universidade Paranaense, o estresse possui raízes mais profundas do que acredita-se, isso porque se trata de uma tensão que desencadeia uma desestabilização corporal, como uma doença no próprio organismo que pode ocasionar malefícios.
 
Quando a pessoa se deixa influenciar por um estado externo que lhe tira o equilíbrio, se torna vulnerável aos agentes estressores e assim, tanto o estado físico é abalado quanto o estado biológico, assim como o estado psicológico e emocional, o que compromete a qualidade de vida da pessoa e é aí, como método para reestabelecer o equilíbrio que entra o recurso da aplicação de óleos essenciais e puros.
 
Mesmo se tratando de um recurso alternativo natural, a aromaterepia demanda cuidados, já que alguns óleos essenciais possuem contraindicações:
 
“Por isso para se fazer o uso seguro da aromaterapia o ideal é que se procure um terapeuta qualificado que irá indicar o uso em suas diversas formas. A pessoa também pode fazer cursos de aromaterapia básica para a utilização segura dos óleos no dia-a-dia”, adverte Tahiana.
 
De acordo com o estudo Aromaterapia associada a tratamentos estéticos, a terapia complementar também reflete sobre a estética, já que atua diretamente no relaxamento da mente e na “cura da alma”. 
 
A utilização dos óleos extraídos de plantas é milenar, segundo o estudo Aromaterapia e suas aplicações, na medicina egípcia a mirra era utilizada como anti-inflamatório e fraturas ósseas eram tratadas com misturas de plantas e óleos. Entre 2551 e 28 a.C já havia registros do uso das ervas na medicina. 
 
Para Tahiana, as terapias complementares têm como objetivo enxergar e cuidar do indivíduo de forma ampla e completa, o que inclui a parte etérica (Alma) no tratamento:
 
“Eu penso que todas as pessoas deveriam pelo menos uma vez por semana se dar de presente uma sessão terapêutica com a terapia que melhor lhe agrada. Isso faz bem para o corpo, para a mente, para o emocional e para a alma. É um cuidado completo e não apenas um tratamento pontual como na medicina tradicional”, orienta.
 
A terapeuta complementar acredita que muitas pessoas têm se conscientizado dos benefícios das terapias alternativas, mas a maioria costuma procurar por esses recursos em último caso, quando não sentem melhoras com tratamentos tradicionais: “E quando isso acontece percebem uma melhora significativa em pouco tempo e concluem que deveriam ter procurado antes. Mas eu acredito que para se entregar a uma terapia complementar a pessoa tem que estar preparada fisica, mental, emocional e espiritualmente”.
 
De acordo com Tahiana a aromaterapia demanda contato físico por meio do toque, o que é poderoso do ponto de vista terapêutico, mas é importante que a pessoa se sinta à vontade e preparada para um tratamento alternativo e que desenvolva uma relação de confiança com o terapeuta com o qual se consulta.
 
E você, já pensou em se render a alguma terapia complementar?
 
 
 
Tahiana Ferraço
Terapeuta Complementar
E-mail: tahiaromaterapeuta@gmail.com
Blog: quintaldebruxa.blogspot.com.br
 
 
 
Aromaterapia e suas aplicações – Universidade de São Camilo - http://www.saocamilo-sp.br/pdf/cadernos/36/07_aromaterapia.pdf
 
O uso da aromaterapia no combate ao estresse - Arq. de Ciências da Saúde da Unipar - http://www.revistas.unipar.br/saude/article/view/5157/2983
 
Aromaterapia associada a tratamentos estéticos - http://www.unifil.br/portal/arquivos/publicacoes/paginas/2012/8/485_734_publipg.pdf