"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

Quer se alimentar melhor? Você pode começar aos poucos 


13/06/2016 - 08:52:44 | 210

 

 A ALIMENTAÇÃO PODE SER GOSTOSA E AO MESMO TEMPO RICA EM NUTRIENTES

 

Se você tem ouvido falar com frequência sobre alimentação viva, alimentação baseada em alimentos crus e acha que pode ser bem difícil começar uma mudança plena de estilo de vida, a Chef especialista em culinária viva, Juliana Malhardes, acredita que não, que é posição fazer a transição para uma alimentação viva e saudável de maneira mais leve.

A educadora em alimentação viva explica que é possível introduzir o alimento vivo (com a totalidade de nutrientes), mesmo uma rotina agitada, com agenda corrida. Ela acredita que a simples introdução dos alimentos vivos na comida do dia a dia, já pode elevar a saúde.

O que muitas pessoas costumam pensar é que uma alimentação saudável costuma ser “sem graça”, não muito atraente ao paladar, mas a Chef é entusiasta da ideia de que a habilidade culinária com alimentos vivos pode gerar pratos deliciosos, e o mais importante, esse preparo pode ser simples.

“Então, o que você precisa para desenvolver a habilidade culinária na culinária viva é de um método prático, de um método de preparo que seja criativo, que te dê confiança para criar e que te dê a possibilidade de agilidade, para preparos rápidos e deliciosos, porque saúde não pode estar desconectada de prazer.”

De acordo com o artigo Como começar, para aqueles que desejam iniciar na alimentação viva é importante seguir alguns passos que são: simplificar; começar aos poucos na introdução de alimentos crus na dieta; adaptar temperos para os alimentos crus, buscar melhores combinações; se abster de alimentos como açúcar, consumo de carne animal, de alimentos processados, refinados, entre outros; evitar beber líquido durante as refeições e substituir o sal refinado (altamente prejudicial) pelo sal do Himalaia, Flor de Sal ou até mesmo pelo sal não refinado (que mantém importantes minerais).

A educadora em alimentação viva explica que quando se cozinha, mata-se a totalidade dos nutrientes nos alimentos, que sofrem empobrecimento e assim, perdem-se as enzimas digestivas que são fundamentais à saúde. Segundo ela, alguns alimentos podem ser melhor aproveitados cozidos, mas a grande maioria não. As enzimas digestivas presentes nos alimentos crus são responsáveis por ativar a vida no corpo e pela nutrição profunda:

“Sem essa nutrição adequada, com o empobrecimento da comida do dia a dia, por meio do cozimento, pelo processamento, o organismo vai ficando com a imunidade baixa, e com isso, a gente adoece mais facilmente e perde a saúde. Porque de uma maneira geral, ainda que a gente não adoeça constantemente, nós todos somos suscetíveis, ainda mais nesse momento em que a situação da saúde no Brasil está gravíssima.”

A especialista destaca a questão da epidemia de zika, dengue, chikungunya, como males que desafiam a saúde pública brasileira, fora as viroses que a maioria dos médicos não sabe explicar e por isso levam essa nomenclatura.

O artigo Alimentos Crus, cita que um dos cuidados essenciais ao ingerir os alimentos crus é que sejam devidamente higienizados e claro, que sejam livres de agrotóxico e de substâncias químicas em geral. Comprar os alimentos de produtores confiáveis é fundamental. 

A educadora em alimentação viva, esclarece que mesmo realizando uma dieta viva e ainda que se adoeça por qualquer razão, o tempo de recuperação é mais curto por conta da dieta adotada: “Há pessoas que ficam meses, que não saem do quadro clínico da doença, ficam com sequelas por muito tempo. Se você está com a base da sua saúde alimentar fortificada, sai desses quadros rápido e vai ter uma qualidade de recuperação muito melhor”.

A especialista enfatiza que quando o corpo corpo é respeitado, quando é alimentado com comidas altamente vitalizantes e nutritivas, ele tem mais força de regeneração, passa a conseguir ter uma resposta, uma força de reagir melhor do que um corpo que já vem sendo mal alimentado, mal nutrido. E se a pessoa está acima do peso, o que muitas pessoas acham que tem relação com boa saúde, na verdade, já pode apontar que há um comprometimento no sistema de desintoxicação no organismo dessa pessoa, que talvez encontre grande dificuldade em se regenerar. 

 

O CORPO PODE SE REGENERAR, MAS ÀS VEZES ACHAM MAIS FÁCIL CORTAR AS PARTES DEFEITUOSAS

 

A especialista explica que quando se mantém o sistema de regeneração funcionando bem, o corpo não vai emitir sintomas de que alguma coisa está errada como por exemplo, quando se abastece com diesel um carro que foi feito para andar com gasolina, logo surgirão problemas e esse carro deixará de funcionar bem e assim, a sugestão será a troca de peças, mas o problema está no combustível que este carro tem recebido.

A Chef acrescenta que o corpo humano é uma máquina perfeita como tantas outras que a natureza fez, mas o que atrapalha é a cultura da comida processada dos últimos cinquenta anos, que é o “combustível” errado para a máquina perfeita, desta forma, a ideia é que se troque o combustível, o que vai gerar um outro desempenho, assim como a forma de se lidar com os sintomas também mudará, tudo é uma questão de escolhas:

“O que a medicina hoje faz? Você tem uma dor de cabeça, você vai ao médico e ele vai te dar um remédio para dor de cabeça, a dor de cabeça vai passar e tudo ficará bem. É o mesmo que estar no seu carro, ver que a luz do óleo acendeu, mas vai ao mecânico e ele diz “Ah, a luz do óleo acendeu? Vou cortar o fio da luz do óleo” e você pode ir embora feliz que a luz do óleo não vai mais acender, é o mesmo que tirar uma vesícula, apêndice, tirar alguma parte do corpo que não está funcionando bem, que é o comportamento da medicina: quando algo não funciona bem no corpo, se corta e joga fora.”

Sendo assim, o papel da alimentação como estilo de vida na manutenção da saúde e na prevenção de doenças é o de dar ao corpo a possibilidade de se curar. Seria como um tratamento mais profundo, na raiz do problema, o que confronta principalmente a maioria das culturas ocidentais, já que silenciar sintomas parece ser mais importante do que erradicar o problema de saúde que os provoca.

 

Juliana Malhardes

 

 

Juliana Malhardes – Chef especialista na culinária viva há 10 anos. Educadora em Alimentação Viva, formada pelo Terapia/Fiocruz

Culinária Viva – Por Juliana Malhardes: www.culinariaviva.com

Fanpage: www.facebook.com/CulinariaViva

 

 

 

 

Fontes

Como começar. Alimentação Viva e Sustentável: alimentacaoviva.blogspot.com.br/p/como-comecar.htm

Alimentos Crus. Guia de Nutrição: www.guiadenutricao.com.br/alimentos-crus-sao-mais-saudaveis