"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

Saiba como identificar a compulsão por doces


04/11/2012 - 23:00:00 | 600

O hábito de comer alimentos doces não deve ser encarado como um “pecado” para quem quer perder peso. Pelo contrário, sabe-se que a dieta ideal requer uma variedade de alimentos, desde verduras, carnes e cereais até os tão falados docinhos. O segredo é não exagerar e consumir de forma bem moderada.

É preciso, no entanto, saber diferenciar a vontade normal de uma compulsão por doces. Um dos grandes responsáveis por essa vontade quase incontrolável de comer doces é a serotonina, ou melhor, a falta dela.

A serotonina é o neurotransmissor responsável pelo bom humor e por diversas outras funções no sistema nervoso, como a regulação do sono, do apetite, das funções motoras e cognitivas. Sua falta é associada à depressão, ansiedade, irritabilidade, fadiga, problemas afetivos e também à compulsão por doces ou carboidratos.

Fique atento ao sinais: observe se você sente mais vontade de comer massas e doces em situações de ansiedade ou depressão. A causa pode ser um desequilíbrio hormonal ou de nutrientes. E neste caso, precisará de ajuda e tratamento médico. Com as taxas equilibradas de serotonina, a pessoa consegue se saciar com mais facilidade e também obtém um controle maior sobre a ingestão de açúcares.

Confira algumas dicas para driblar a compulsão por doces:

• Adote o hábito de inovar a forma como consome ou prepara as frutas. Vale cozinhar, assar ou mesmo congelar. As frutas contém sacarose e açúcares como a frutose e glicose, que podem saciar o desejo por docinhos e ainda fornecer vitaminas e minerais essenciais para a saúde.
• Consuma fontes de doces no café da manhã. Isto ajudará a saciar a vontade no decorrer do dia. Geleias, sucos e frutas são boas opções.
• Aumente o consumo de alimentos ricos em triptofano, como feijão, lentilha, leite e seus derivados, banana e nozes. Este alimentos garantem maior saciedade e evitam o desejo por doces.

Se possível, consulte um nutricionista e mantenha um cardápio variado.

Por: AgComunicado