"Manter o corpo em boa forma é dever de todos. Corpo saudável... Pensamentos Saudáveis."

Ser bilingue melhora nossa capacidade neurológica


04/11/2012 - 23:00:00 | 847

 

A concorrência na hora de conseguir um bom emprego está cada vez maior. Hoje saber mais de uma língua é um requisito praticamente obrigatório. Mas ser bilíngue não ajuda só na hora de conseguir uma boa vaga. Saiba que aquelas pessoas que falam mais de uma língua tem uma vantagem neurológica.

Quando uma pessoa está falando outra língua as duas línguas permanecem ativa na sua mente. Um estudo bélgico feito pela University of Ghent chegou à conclusão que ser bilíngue mexe com nossas capacidades cognitivas básicas. As capacidades cognitivas de uma pessoa são aquelas responsáveis por armazenar, transformar, raciocinar, criar, e também pela atenção e percepção. Em outras palavras, a pessoa fica mais esperta e atenta, pois quando ela está falando outra língua as duas línguas permanecem ativas na sua mente.

Uma outra pesquisa afirmou que ser bilíngue diminui as chances de ter Mal de Alzheimer. A pesquisa analisou 450 pacientes que tinham sido diagnosticados com mal de Alzheimer e viram que aqueles que eram bilíngues foram diagnosticados com a doença mais tarde, em torno de 4 anos. Essas pessoas disseram que os sintomas começaram 5 anos depois em comparação ao daquelas que não eram bilíngues.

O estudo feito na Bélgica afirmou que aparentemente essas vantagens só aparecem se a pessoa aprender uma nova língua durante a infância ou adolescência. Já o segundo estudo afirmou que as vantagens de ser bilíngue não são apenas para aqueles que aprenderam uma outra língua quando crianças ou adolescentes. Ser bilíngue é importante para nosso pensamento e atenção. Quando falamos outra língua exercitamos nosso cérebro pois ele tem que alternar entre as duas línguas e organizá-las.

Ainda há muitas descobertas a serem feitas sobre as consequências positivas de ser bilíngue. Seja aprender uma nova língua na infância, adolescência ou uma fase adulta, incluir uma segunda, terceira ou quarta língua no seu “vocabulário” não será perca tempo. Até mesmo porque o mundo em que vivemos hoje é globalizado e exigente.